Selecione Categoria

Notícias

Crianças do Centro de Integração do Menor vão ao MON pela 1°vez

Nesta quarta-feira, 4 de junho, às 10h, o Museu Oscar Niemeyer receberá a visita de alunos e professores do Centro de Integração do Menor (CIME), do município de Campo Largo. No entanto, o que chama a atenção é que eles nunca visitaram este espaço cultural.

A iniciativa surgiu com Toto Lopes, artista plástico e responsável pela oficina da Artes Plásticas do projeto TETEAR – Tempo de Temperar Arte, criado e desenvolvido pela Parabolé Educação e Cultura. “A ideia nasceu a partir da constatação de que ninguém que trabalha ou estuda no CIME conhece o museu. Assim, esperamos incentivar essas crianças, que se encontram em situação de risco social, e adultos a visitarem espaços como esse”, explica Lopes.

Ele ainda conta que os visitantes irão prestigiar principalmente a exposição “Plumária – arte maior do indígena brasileiro”, pois a maioria dos alunos está estudando, neste momento, sobre os índios. A expectativa de todos é enorme, especialmente das crianças. Mas a vontade de que este dia chegue não está apenas entre os alunos. Toto Lopes diz que não a vê a hora de ver os resultados. “É um sonho que irá se realizar. Quero muito mostrar uma exposição sobre um assunto que eles pesquisam em sala de aula”. Lopes sente-se feliz ao incentivar as emoções dos visitantes, ampliar horizontes culturais, harmonizar o ambiente de aprendizagem e a transformar pessoas. “Meu ponto de vista vai muito além do que apenas uma simples aula de Artes Plásticas. É criar um ambiente agradável e totalmente educacional para a vida dos alunos, para que seja inesquecível”.

Projeto TETEAR
O Tempo de Temperar Arte está em sua 3ª edição, sempre realizado em Campo Largo. Voltado para cerca de 400 crianças e jovens, de 7 a 17 anos, alunos de escolas públicas ou cadastrados em projetos sociais, o TETEAR oportuniza o acesso à formação artística e a expressões culturais a um público que tem poucas condições de vivenciar esse contato. Para isso, promove, ao longo do ano, um conjunto de seis oficinas, uma delas é a Artes Plásticas, ministrada por Toto Lopes. As outras são Teatro, Percussão, Canto, Circo e Dança.

O TETEAR é fruto de sua aprovação na Lei Rouanet, de incentivo à cultura. Sendo que as empresas que o patrocinam (Caterpillar e Incepa) investem seu apoio com base nos mecanismos previstos pela referida lei. Nélio Spréa, arte-educador e diretor da Parabolé, explica que a integração e a valorização dos aspectos simbólicos e materiais da cultura específica dos alunos conferem um papel ativo no processo de aprendizagem. “É fundamental conhecer a realidade na qual os participantes estão inseridos e saber o tanto quanto for possível sobre o seu modo de vida para promover um aproveitamento daquilo que lhes é próprio, daquilo que pertence a sua cultura e que já é expresso pelas suas formas de interpretar e produzir a vida”, diz Spréa. Para ele, por mais desprovida de recursos materiais ou por mais carente de apoio que uma comunidade possa estar, ainda assim, é possível encontrar diversidade cultural, saberes e conhecimentos. O arte-educador ressalta que o TETEAR traz benefícios para todo o município campolarguense, pois está formando uma geração com acesso a novas referências, experiências e sensibilidades artísticas.

As oficinas acontecem em diferentes locais. Um deles é o CIME, que abriga especialmente a as aulas do artista Toto Lopes. O professor ressalta que os alunos estão pintando toda a fachada em volta do prédio, abusando da criatividade. Um dos temas dessa criação é a “Copa do Mundo”. Além de receberam a base sobre pintura modelagem, colagem etc., todos aprendem, de acordo com Lopes, a respeitar um ao outro, a se divertir, a ter postura, coordenação motora e paciência. “Aprendem a ser gentis, a ter esperança no futuro, a sonhar, a ser diferente do que a vida lhe proporciona no momento, a ter uma profissão, a ser uma pessoa feliz”. Para ele, o papel da arte na vida dessas crianças tem um forte significado: esperança.

Sobre a Parabolé Educação e Cultura
Há nove anos a Parabolé desenvolve projetos culturais que apresentam interesse educacional e social. Um dos objetivos é a revitalização do espaço escolar e a divulgação da cultura brasileira em instituições de ensino. Oficinas de música, cursos e palestras para educadores, espetáculos musicais e projetos de arte-educação são algumas das ações realizadas pela equipe de profissionais, que leva para dentro das escolas histórias da tradição oral, canções e danças regionais, desafios, jogos, festividades, brincadeiras, formas de expressão típica, personalidades e saberes que se originam na vida cotidiana da sociedade.

SERVIÇO
Visita ao Museu Oscar Niemeyer – alunos e professore do Centro de Integração do Menor / projeto TETEAR
Data: 4 de junho (quarta-feira)
Horário: 10h
Local: Museu Oscar Niemeyer

Mais informações para a imprensa:
Talita Vanso: 41-9991-5985
Patrícia Melo: 41-9643-0164
Simone Meirelles: 41-9104-2282

Loja Virtual

Aproveite nossa loja online.
Receba em casa os produtos da Parabolé e de parceiros!

CapaDVD Palmas pra que te quero baixa   shop-2-inside   Bichos e buchichos baixa

Palmas pra que te quero - DVD

 

Villa das crianças - CD

 

Bichos e buchichos - CD/Livro

+ detalhes

 

+ detalhes

 

+ detalhes

acesse a loja virtual

base verm

Parabolé Educação e Cultura

Rua Assunta Biagini, 79 - Bigorrilho

Curitiba/PR - Cep. 80710-400

(41) 3027-5821

(41) 9681-3030

contato@parabole.com.br

 

Palavras mais Buscadas

Contratar espetáculos infantis | Contratar espetáculos
musicais para crianças | Formação continuada de
educadores | Palestras sobre educação infantil |
Espetáculos infantis para escolas | Espetáculos infantis
para eventos | Livros para crianças | CDs infantis